quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Balançar

Hoje acordei cedo e deixei-me ficar na cama a preguiçar mais um bocadinho.
Pensei neste ano que passou tão depressa e no que fiz de mais positivo...concluí que não foi muito. Mantive o meu emprego (o que nos dias que correm já não é mau), entreguei a tese de mestrado (ainda sem nota)...paguei umas férias aos meus pais. Fui o melhor que soube ser. Mas parece-me pouco para 365 dias. Tenho as melhores colegas de trabalho que poderia ter, gosto do que faço, adoro a minha família. E no entanto, continuo a sentir um vazio enorme, que nestas datas parece que cresce ainda mais. Uns amigos meus casaram-se este ano, outra amiga vai morar com o namorado no dia 1...eu não tenho planos. Mais do que não ter ainda a estabilidade financeira que desejaria, embora não esteja mal, não tenho com quem fazer planos. Isso entristece-me. Apesar de reconhecer e dar graças por tudo o resto que tenho, este pequeno grande pormenor está a puxar-me para baixo.
Às vezes não me sinto normal, trabalho imenso, e quando chego ao fim do dia já só me apetece um bocadinho de sossego, não sou de grandes festas nem confusões. O meu grupo de amigos desmanchou-se...foram uns para cada lado, uns por defeito, outros por feitio e outros por contingências da vida. O que sei é que não tenho assim ninguém próximo com quem possa desabafar, alguém que realmente me compreenda.
2014 foi também o ano em que perdi o meu avô.Passaram só nove meses, mas já parece que foi há tanto tempo...tenho saudades dele.
O que mais? Não sei... Sei que vos desejo um óptimo ano novo, que seja possível recomeçar, emendar, perdoar. Que seja tranquilo e emotivo. Que seja maravilhoso e memorável! Que valha a pena.
Feliz 2015!
 

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Em modo férias (são só 3 dias, mas...)

Banho tomado, enroscada no cobertor a ver patinagem artística. Adoro.
Não sei como vou lidar com a próxima semana, sem férias nem feriados...não é uma semana em termos.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

A todos um bom Nataalll

Desejo-vos um Natal muito muito feliz, aconchegadinho junto daqueles que mais amam!


quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Até me apeteceu chorar (e ainda não passou a vontade)

Ora, grande presente do Pai Natal. 186,13€ a pagar mensalmente à segurança social. Obrigada. Com este frio o que dá mesmo jeito é trabalhar para aquecer. Viva o recibo verde!

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Desgraçada desta angústia. Nada tem sabor...

domingo, 30 de novembro de 2014

Cá estamos...

Andei arredada daqui. Por nenhuma razão em especial...não sei. Já começaram as chamadas para defesa da tese, uma das minhas colegas já defendeu e duas vão defender amanhã. Ainda não tenho a apresentação completamente pronta, estou nervosa, muito nervosa, e com medo. É uma angústia quando penso nisso...Para melhorar a situação, é obrigatório ir trajada, eu que não fui à praxe, não tenho traje, não quis ter, agora só posso ir defender a minha tese de mestrado se for trajada. Tive de pedir um emprestado...mas vou ter de comprar uns sapatos, porque ao que parece ninguém calça o 35.
Entretanto, este ano, pela primeira vez desde que lá estou, vai haver jantar de Natal da clínica, pago pela clínica. Antes era prática comum, mas depois as coisas foram  ficando cada vez mais difíceis e não havia dinheiro para jantares. Fiquei muito contente por termos sido convidadas este ano, não pelo jantar, mas pelo que isso pode significar. Queria tanto que as coisas melhorassem...
Quanto às prendas de Natal, já avancei um bocadinho, só me faltam as dos meus pais (a da minha mãe não é uma prenda, é um milagre...pessoa dificíllll) e as dos meus pequenos, mas essas já tenho mais ou menos uma ideia. Então, aqui fica a lista deste ano, pode ser que dê para tirar algumas ideias:
O. - uma gola e uns brincos da Parfois
M. - uma gola da Parfois
M.- uma pulseira da Parfois
C. - uma pulseira linda e um lenço da Parfois (como se pode notar, arrumei metade numa só loja...:)
Filha da Cris - um livro da Alice Vieira
C. - um baton da Kiko (é para uma troca de prendas até 3 euros, os batons são óptimos e estão em promoção, vou lá comprar mais para outras trocas, tem cores mesmo giras, e outras ideias um pouquinho mais caras mas muito em conta, vale a pena...)
A árvore de Natal é que ainda está por fazer, mas também só amanhã é que começa Dezembro...

sábado, 15 de novembro de 2014

Comprei as três primeiras prendas de Natal! Este ano vou ter tudo pronto até ao final deste mês. (excepto a prenda da minha mãe...essa só lá para dia 24h ao fim da tarde...)

domingo, 9 de novembro de 2014

Os pinipons desta nossa vida

Elas chegaram agora junto de ti.
Elas pensavam que o mundo cabia inteiro nas paredes da sua casa, e que quem lá vivia eram os seus únicos habitantes. Terás de mostrar-lhes que não é verdade. 
Elas têm poucas palavras para nomear o que as rodeia. Terás de as ajudar a encontrar as que faltam. 
Elas vão ver o mundo com as cores que tu puseres em cada som e em cada gesto. 
Elas vão olhar para ti, aprender o teu nome, chamar-te por tudo e por nada, geralmente por nada. Que é sempre tudo. 
Vais mostrar-lhes como se vive com os outros, como se aceita quem não é igual a nós, tal como se aceita um desenho pintado com todas as cores do arco-íris. 
Vais aprender a ter de lhes dizer muitas vezes “ não”, sem te deixares levar pelo seu beicinho irresistível. Mas vais também dizer-lhes muitas vezes “sim” e sentir que é para ti que elas sorriem e estendem as mãos.
Vais levá-las ao jardim quando há sol, vais empurrar baloiços que chegam ao céu, vais assoar narizes cem vezes ao dia, vais fazê-las aprender a gostar de sopa, vais ler-lhes histórias e ensinar-lhes que todas as meninas têm direito a ser princesas, e todos os meninos têm direito a ser piratas das Caraíbas. 
Elas vão ser, naquele pequeno universo diário, os filhos que tens em casa, ou na escola, ou não tens, ou esperas vir a ter mais tarde. E por vezes podes sentir uns ligeiros remorsos por teres para elas o tempo que não tens para os teus. 
Elas levam-te nos olhos quando à tarde as vêm buscar. E esperas que te levem também no coração. 
Elas vão acreditar em ti como acreditam nas fadas e no Pai Natal. 
Elas vão pôr-te os nervos à flor da pele e fazer-te esquecer, por vezes, o que aprendeste, e perder a paciência que sempre julgaste inesgotável. 
Elas vão fazer-te suspirar pela hora do regresso a casa, vão fazer-te levar muitas vezes as mãos à cabeça e proferir intimamente palavras impronunciáveis. 
Porque elas são crianças. 
E porque tu és humana. 
 
Resumindo: elas vão-te fazer feliz para o resto da tua vida.

Alice Vieira

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

79 anos. Vinha à sessão de Terapia da Fala sempre acompanhado pela filha. Um amor de pessoa. Descobriram-lhe um cancro no pulmão...não tinha sintomas, era independente, simpático, feliz. Há 10 dias vinha a falar do FCP e a contar-me anedotas. Na semana passada internaram-no para ser operado. Abriram e fecharam, como se costuma dizer...já tinha demasiada confusão espalhada. Entrou em coma até agora. Não encontram explicação para o que aconteceu...Hoje vão desligá-lo das máquinas. A filha decidiu e a meu ver decidiu bem, era o que o senhor J. havia de querer. Estou triste triste. :(

domingo, 19 de outubro de 2014

Praga ou Roma? No fundo é isto.

Praga ou Roma? Praga ou Roma? Praga ou Roma?

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Mais um Domingo daqueles

Hoje não saí de casa. De manhã estive a preparar as sessões da semana, porque ontem tive uma formação e já não consegui adiantar nada. De tarde, venci a inércia e fiz a apresentação powerpoint do capítulo dos resultados da dissertação. Ainda não faço ideia de quando será (tecnicamente deveria ser até ao fim de Novembro...), mas já andava a ficar preocupada por não ter nada feito - culpa minha, obviamente. Não sei com quanto tempo de antecedência avisam, nem sei a duração da minha apresentação e do "interrogatório"...mas pelo menos já comecei.
Só de pensar sinto-me a zonza com os nervos.
A formação de ontem foi extremamente interessante, há tanta coisa para aprender...e eu gosto da minha área, gosto tanto! Mas às vezes é tudo demasiado a correr, demasiado intenso, apetece-me parar, desertar daqui para fora, mudar-me para o meio do campo e fazer outra coisa qualquer que não me faça estar em sobressalto constante, a antecipar, a fazer relatórios, a explicar a quem não quer perceber...Ainda não tenho a certeza se vou fazer isto até ao resto da minha vida. Embora também não saiba fazer mais nada. Só queria sossegar um bocadinho.
Como seria a minha vida se tivesse seguido outro caminho?
 

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Vamos por partes



E estas têm sido semanas de revolução em todos os aspectos. No trabalho tudo está em mudança, é preciso adaptar e adaptar e adaptar, surgiram outros convites tão interessantes e nos quais não deixo de pensar...mas sei que não estou na altura certa da minha vida para aceitá-los. E será que não?
E ele...sempre ele.
Entretanto já andamos a pensar nas próximas mini férias. Estamos com alguns problemas na escolha do destino. Eu queria ir a Roma, há quem queira ir à Disney, e hoje ainda apareceu a ideia de irmos antes a Praga ou Amesterdão. Não sei que faça nem sei que diga. Há tanto mundo para ver. Sugestões?

domingo, 21 de setembro de 2014

Do pouco se faz muito

Fui à feira do Livro do Porto, este ano nos jardins do Palácio de Cristal. Que bem me soube...comprei uns livros para os miúdos lá da clínica e outros de fichas (também para eles trabalharem, coitados :). Ainda vi um espectáculo de bailado e um concerto de guitarra e violino. Mudava-me para lá e não saia mais...Paz, beleza, distância de ti. Talvez não seja preciso mais.


sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Resignações

Ou sem solução. Ou o que não tem remédio remediado está. Ou o que é nosso a nós vem parar. Ou como o mundo me caiu ao chão esta semana.


domingo, 14 de setembro de 2014

Devastada. Por incrível que pareça é sempre uma novidade. Queria andar para trás oito anos e nunca te ter conhecido.

Sunday lazy sunday....

Hoje ia a um pic-nic, mas está chuva e trovoada.
Tenho sessões para preparar e roupa para passar a ferro... e os artigos cativos para ler. Já fazem parte da mobilia. 
Esta dor de cabeça não me larga.
Estou preocupada com um caso novo que recebi, que é muito grave e não sei bem por onde pegar.
Resumindo, este domingo ainda agora começou e já não está a ser assim grande coisa.
 

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

domingo, 7 de setembro de 2014

Férias férias férias...

Fui passar uma semaninha de férias ao Algarve com a família. Correu mesmo bem, o tempo esteve maravilhoso, deu para descansar da azáfama dos últimos três meses...mas soube a pouco, como sempre. Segunda-feira, regresso ao trabalho.
O que vale é que as minhas três companheiras de viagem e eu já andamos a escolher o destino para a próxima, é o que nos dá alento :) talvez seja Roma agora...

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Já está!

Entreguei a dissertação ontem de manhã! Sou outra mulher. E a minha conta bancária também modificou, está mais leve, mais arejadinha. Mas estou satisfeita!:) Agora falta aquela que a meu ver é a pior parte...essa sim, pagava bem para não ter de fazer, a defesa pública. Ai que nervoso. Deve acontecer dentro de três meses... ver vamos.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Ainda dos dinheiros...

Ah! Espera! Disseram que eram 124 euros, mas não, ainal são 151 euros! Porquê?? Porque me disseram o preço sem IVA! Ora, pois claro. Porque o preço sem IVA interessa-me imenso, até parece que se não mo disserem eu não o vou pagar. E a melhor? Esqueci-me lá da factura. Amanhã tenho de voltar...
Ao menos já tenho as teses ali direitinhas, vou entregá-las de manhã à faculdade. E pagar uma multa. Uma multa por entregar depois do prazo.Porquê? Porque eles decidiram encurtar o prazo um mês. Mas não faz mal, eu pago. Tenho de me libertar dos valores materiais...por este andar qualquer dia atinjo o nirvana.
 

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Dinheiros

Às vezes sou mesmo muito dramática e ponho-me logo a pensar o pior em todas as suas formas.
No entanto, as teses não deixam de custar 124 euros. Isso é um facto.

Esta música acordou comigo e não há meio de se ir...


E enquanto isso a tese está na gráfica :)

sábado, 23 de agosto de 2014

Eis que o momento chegou!

Dissertação prontíssima e parecer positivo do orientador. Amanhã vou à gráfica para imprimir tudo conforme manda a etiqueta e assim que possível vou entregar à faculdade. Não vejo a hora!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Escreve e escreve muito bem. Assino por baixo.

Vida de solteiro 

E a namorada?” Alguém vai me perguntar. Aí vou sorrir e responder: “Estou solteiro!”. E logo depois vem aquela cara de: “nossa, coitadinho”, quando ao meu ver era a hora certa da pessoa me abraçar e pularmos gritando: “Parabéns Campeão!” Sabe, realmente não entendo essas pessoas que colocam o fato de encontrar uma pessoa como sendo um dos objetivos primordiais da vida. Como se a ordem natural fosse: nascer, crescer, conhecer alguém e morrer. A meu ver, não é assim. As pessoas se dizem solteiras como quem diz que está com uma doença grave, alguém que precise de ajuda. Não é nada disso. Existe sim vida na “solteridão”! E das boas. E isso não quer dizer farra, putaria, poligamia ou promiscuidade. Aliás, quer dizer sim, mas só quando você tiver afim. No mais quer dizer liberdade, paz de espírito, intensidade. E olha que escrevo isso com algum conhecimento de causa, já que tenho vários anos de namoro no currículo. De verdade, do fundo do coração, eu estou muito bem solteiro. Acho até que melhor que antes. Gosto de acordar pela manhã sem saber como vai terminar meu dia. Gosto da sensação do inesperado, da falta de rotina e de não ter que dar satisfação. Gosto de poder dizer sim quando meu amigo me liga na quinta-feira perguntando se quero viajar com ele na manhã seguinte. De chegar em casa com o Sol nascendo. De não chegar em casa as vezes. De conhecer gente nova todos os dias. De não ter que fazer nada por obrigação. De viver sem angústia, sem ciúme, sem desconfiança. De viver.  Acredito que todo mundo precisa passar por essa fase na vida. Intensamente inclusive. Sabe, entendo que talvez essa não seja sua praia. Ou talvez você nunca vá saber se é. Eu mesmo não sabia que era a minha, e veja só você, hoje sou surfista profissional. O que percebo são pessoas abraçando seus relacionamentos como quem segura uma bóia em um naufrágio. Como se aquela fosse sua última chance de sobrevivência. Eu não quero uma vida assim. Nessa hora talvez você queira me perguntar: “Mas e aí? Vai ficar solteirão para sempre? Vai ser assim até quando?” E eu vou te responder com a maior naturalidade do mundo: “Vai ser assim até quando eu quiser”. Quando encontrar alguém que seja maior que tudo isso, ou talvez alguém que consiga me acompanhar. E não venha me dizer que aquele relacionamento meia boca seu é algo assim. O que eu espero é bem diferente. Quando se gosta da vida que leva, você não muda por qualquer coisa. Então para mim só faz sentido estar com alguém que me faça ainda mais feliz do que já sou, e como sei que isso é bem difícil, tenho certeza que o que chegar será bem especial. E se não vier também está tudo bem sabe? Eu realmente não acho que isso seja um objetivo de vida. Não farei como muitos que se deixam levar pela pressão dessa sociedade. Tanta gente namorando pra dizer que namora, casando pra não se sentir encalhado, abdicando da felicidade por um status social. Aí depois vem a traição, vem o divórcio, a frustração e todo o resto tão comum por aí. Não, não. Me deixa quietinho aqui com minha vida espetacular. Pra ser totalmente sincero com você, a real é que não é sua situação conjugal que te faz feliz ou triste. Conheço casais extremamente felizes e outros que estão há anos fingindo que dão certo. Conheço gente solteira que tem a vida que pedi para Deus e outros desesperados baixando aplicativos de paquera e acreditando que a(o) ex era o grande amor e que perdeu sua grande chance. Quanta bobagem. A verdade é que só você mesmo pode preencher o seu vazio, e colocar essa missão nas mãos de outra pessoa e pedir pra ser infeliz. Conheco sim vários casais incríveis, assim como tantos outros que não enxergam que estão se matando pouco a pouco. Só peço que não deixem que o medo da solidão faça com que a tristeza pareça algo suportável. Viver sozinho no início pode parecer desesperador, mas de tanto nadar contra a maré, um dia você aprende a surfar. E te digo que quando esse dia chegar, você nunca mais vai se contentar em ficar na areia. Desse dia em diante só vai servir ter alguém ao seu lado se este estiver disposto a entrar na água com você.
Rafael Magalhães

domingo, 17 de agosto de 2014

Ele voltou. Estava aqui a tentar marcar o alojamento para as férias e aparece-me o nome dele aqui ao lado, no skype. O meu coração deu um salto. Sabê-lo à distância e sem possibilidade de falar com ele é uma coisa, estar aqui tão perto faz com que seja mais difícil de resistir. Mas não posso. Falar com ele não me traz nada de bom.
 

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Balanço quinzenal

De volta.
Terminei hoje de escrever a dissertação. Falta paginar, ando em guerra com isso...fica para segunda-feira, uma amiga prometeu ajudar-me. Hoje deu-me o clik e lá escrevi tudo a eito, parecia que a inspiração toda se estava a guardar para hoje. Quando terminei até me deu vontade de chorar. De alegria, de orgulho, porque mais uma vez fiz tudo sozinha mesmo quando não parecia possível, e de tristeza, porque o meu avô que tanto me incentivou a fazer este mestrado, já não teve tempo de assistir à sua conclusão.
O outro criaturo fala comigo quase todos os dias pelo skype...na semana passada, quando eu já estava crédula que ele ia ser de novo do clube dos solteiros, ele diz-me que vai passar uma semana de férias a Londres. As viagens que não fizemos...Não me disse com quem ía, mas também não foi preciso. Não me mandou mensagem toda a semana, é porque está acompanhado. E com esta desisto de vez. Está mais que visto que não é para mim, estou cansada e desiludida. E até zangada comigo e com esta teimosia de o querer quando no fundo ele não é nada do que eu imagino para mim...não trabalha, não faz por arranjar nada que o ocupe, nunca termina aquilo que começa, passa os dias fechado em casa ao computador (bem, excepto quando vai de férias com a namorada...) e acima de tudo, ao que parece é comprometido e está para durar. Não adianta continuar nesta negação que me põe a vida parada.
Entretanto, uma amiga minha decidiu a semana passada que vai casar...amanhã. :) É no registo, não é nada do que ela queria, mas é o que pode ser no momento, e estou muito feliz por ela. Não vai haver festa, mas vou lá ver o casamento e dar-lhe um beijinho.
Já disse que terminei a dissertação?:) Caramba, consegui!

domingo, 3 de agosto de 2014

Estes dias têm sido de doidos. Trabalho não falta, os miúdos não vão de férias e portanto o tempo que me sobra de dia para escrever a tese é nulo ou quase. Já fechei o capitulo da parte teórica e já escrevi grande parte dos resultados. Ontem sentia-me mais confiante, hoje falei com o orientador e percebi que, apesar de estar a cumprir os prazos estipulados, ainda temos muito caminho pela frente. Estou motivada, porque se entregar até ao final do mês poupo o dinheiro da propina do ano que vem (e que não é pouco!) e, sobretudo, encerro isto de uma vez e descanso um bocado a cabeça. Mas estou com medo. Com muito medo. De não fazer tudo em condições, de chegar ao fim e não entregar porque falta isto ou aquilo...Estou cansada. E sinto-me um bocado sozinha. Há dias em que a tristeza é mesmo grande, ainda que nem sempre encontre explicação para tal.
 

sábado, 19 de julho de 2014

Vidas

Ontem ficou decidido que afinal vou entregar a tese dentro de...um mês. A minha vida, tal como a conheço, acabou de acabar.
Depois de um dia de loucos em que trabalhei 12h, terminei a noite a ver um concerto do José Cid! Caramba, percebi que conheço a músicas quase todas e diverti-me a valer!José Cid é um fixe! :)

terça-feira, 15 de julho de 2014

Casamento

O casamento da minha amiga correu muito bem, mas o Padre que os casou definitivamente estava num dia mau, criticou tudo e todos, o noivo já bufava. Mas o melhor foi, por motivos alheios à minha vontade, ter de me sentar no mesmo banco dos pais da noiva e o criaturo do fotógrafo ter achado que eu era a irmã. Apareço em 400 fotografias. Medo.
O que aprendi? Aprendi a não mais fazer a maquiagem no cabeleireiro. As pessoas não percebem a noção de "leve e discreto". Saí de lá cor de laranja (eu que sou branca como a cal) e com um dourado brilhante em cima dos olhos. Resultado, cheguei a casa e lavei a cara. Como diz a minha tia, a água lava tudo, só não lava as más línguas.
 

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Por favor? Alguém?

Alguém desse lado que esteja a fazer ou já tenha feito um mestrado numa qualuqer faculdade pública, é capaz de me dizer se existem duas fases para a entrega da teses? Julho e Setembro, certo?
E, caso o mês de Setembro corra mesmo mal, há a possibilidade de pagar mais um trimestre e entregar a dita em Dezembro? Ou tenho mesmo de pagar o ano inteiro?
É que eu acho que estou a ser roubada. Muito.
Esclareçam-me por favor!

terça-feira, 24 de junho de 2014

Temos vestido!

Quer dizer, eu tenho vestido. Vou ao casamento de um casal amigo de quem gosto muito (fui eu que os apresentei!) e vou ler durante a cerimónia e tudo e tudo, o casamento é daqui a três semanas e eu ainda não tinha vestido. Pois que hoje isso mudou, entrei numa loja, peguei em quatro vestidos jeitosinhos e o primeiro que experimentei foi amor à primeira vista. É curto, liso, muito simples, custou 60 euros e acho que vai ficar muito giro com uns acessórios. É azul cobalto (é assim que se diz, não é?), assim como os da foto abaixo. Só que agora não sei bem que cor de sapatos usar...estava inclinada para o tom nude, mas será que fica melhor com azul escuro ou preto? Que dizeis?
 

Bom São João a todos

Ela: "A minha filha está quase do teu tamanho! Qualquer dia já a podes levar a dar uma volta...Confio em ti, deixava-te levar as minhas filhas para passear, tens um ar confiável...e de quem não vive a vida que poderia viver. Devias ir hoje ao São João e devias atirar-te de cabeça! Vive, que tudo isto passa a correr!!"
Eu: ...
 
Acabei por ir apenas à sardinhada em casa da família, estive com pessoas de quem tanto gosto e lançámos quatro balões. Foi um bocadinho muito bem passado e guardo todos estes momentos no coração. De verdade.
Não fui para a festa propriamente dita, acordei cedíssimo hoje, trabalhei quase 10h, estou mais morta que viva. Eu sei que não é desculpa, que devia ir, combinar, conhecer pessoas novas...e sei que ela, sendo um bocadinho maluca, tem toda a razão. Eu podia viver outra vida, e devia esforçar-me um pouco mais, mas já não vai ser hoje.
 


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Roteiro de Barcelona - longooo

Dia 1
 
Sagrada Família
Hospital de la St Creu i Pau
Ramblas
Mercado da Boqueria
Estátua do Colmbo
Aquário
Sagrada Família

Sagrada Família - vitral
Vista da torre - Sagrada Família

Sagrada Família - interior

 
Hospital de St Creu e Pau

Mercado da Boqueria

Mercado da Boqueria - tantas coisinhas boas...

Mercado da Boqueria
 
Dia 2
 
La Pedrera
Casa Batlló
Parque da Cidadela
Arco do Triunfo
Castelo de Montjuic
Estádio Olímpico
Museu Nacional de Arte da Catalunha (não entrámos porque já era muito tarde)
Fonte Mágica (espetáculo)


Casa Milan ou La Pedrera
Arco do Triunfo


Parque da Cidadela

 
Parque da Cidadela

 
Estádio Olímpico
Estádio Olímpico -Torre das Comunicações
 
Fonte Mágica
 
Dia 3
 
Parque Guell
Mercado del Born
Igreja de Santa Maria del Mar
Palácio da Música Catalã
Sé Catedral de Barcelona
Mercado de Santa Catarina
Bairro Gótico

Parque Guell

Parque Guell

Pormenor do tecto do Palácio da Música Catalã

Sé Catedral de Barcelona
 
 
É muito difícil escolher o que mais gostei, mas além da Sagrada Família, claro, a Igreja de Santa Maria del Mar é linda, o Parque da Cidadela é qualquer coisa...a Fonte Mágica e o ambiente à volta em hora de espetáculo é indescritível. O Palácio da Música Catalã é uma obra de arte, ninguém pode ir a Barcelona sem visitar esta pérola. Gostava de ter passado mais tempo o Bairro Gótico, mas já não deu. O Parque Guell é bonito mas estava tanto calor que acho que nem apreciámos bem. Já o Aquário, é giro, mas não me parece fundamental, na minha opinião o Oceanário de Lisboa está melhor conseguido. Não conseguimos ir a Tibidabo, nem ao estádio do Barcelona, e o museu Picasso e a Fundação Joan Miró também ficaram por ver porque o tempo não esticou mais.
Aconselho vivamente a quem lá for, comprar os bilhetes possíveis online, porque as filas são enormes, então na Sagrada Família nem é bom...e o Parque Guell agora tem lotação máxima e hora de entrada marcada, portanto mais vale ir prevenido e poupar tempo.
Os passes do metro também compensam imenso, comprámos o passe de 3 dias e pudemos andar em todos os metros e autocarros que precisámos. Se não fosse isso não teríamos conhecido metade do que queríamos, e mesmo assim andámos imenso, os meus pézinhos que o digam.
Acho que ninguém deve passar por esta vida sem ir a Barcelona e levar um cartão de memória da máquina fotográfica com muitaaaaaaaa capacidade.
Fui muito feliz! :)

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Regressada de Barcelona (viagem maravilhosaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!), D. voltou ontem ao trabalho. Combina com suas coleguitas para hoje depois do expediente irem jantar à festa cá da terrinha. Assim foi. Pois que no meio de toda uma multidão, quem é que vem contra D., que estava concentradissima a olhar para a barraca do algodão doce? Ele. A sério. Tanta gente, tanta rua, tanta barraca, pois tinha de dar de caras com ele. Já aqui disse e repito, o karma é uma coisa tramada e o meu não facilita.
 

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Barcelonaaaaaaaaaaaaaaaaa


Terça-feira estou de regresso, Barcelona vou a caminho!
E vou andar pela primeira vez de avião, portanto é fazer o favor de torcer por mim. :)

terça-feira, 3 de junho de 2014

Contagem descrescente Barcelona - 3 dias e um bocadito

Dia de cão, mas já tenho os cartões de embarque. Viva viva!
 

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Primeira impressão

A estagiária é queridíssima, sabe a matéria na ponta da língua e gosta ainda mais de falar do que eu. Acho que nos vamos dar bem.

domingo, 1 de junho de 2014

Esta vai ser a semana mais longa dos últimos tempos. Para dar mais cor aos dias, vou receber outra estagiária, relatórios para corrigir, o caos habitual na clínica, a festa aqui da terra a que não consigo fugir mesmo quando estou muito cansada porque ela chama por mim...
Respirar fundo, porque sábado Barcelona é nossa. :)
 

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Partidos de extrema direita a subirem tanto nas votações...como é possível? Será que as pessoas têm memória assim tão curta? É assustador.
 

sábado, 24 de maio de 2014

Considerações futebolísticas

A ver o jogo de Real e do Atlético e a pensar que há jogadores mesmo giros, e o ruivinho que está castigado (Xavi Alonso?) que bem que ficava cá em casa... Só acho mal que passem a vidinha a cuspir no relvado. Eles não sabem que vão cair em cima daquilo? Baahh...
A cara de puto do Ronaldo a festejar é mesmo de uma alegria genuina e isso é querido. :)

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Que assim seja

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Surpresas terapêuticas

Hoje uma menina de cinco anos fez-me a seguinte pergunta:
 - És feliz na tua profissão?

Sou uma privilegiada.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Pirilampo Mágico 2014

Então e o Pirilampo Mágico, já compraram? Eu já comprei o meu, está pousado na mesinha de cabeceira. Tenho todos desde 1987, que foi o ano em que nasci, já é quase uma tradição que faço questão de manter. Às vezes até compro mais para oferecer a amigas. É bonitinho e por uma boa causa! Não se esqueçam, está à venda de 3 a 25 de Maio.  "Acende a nossa esperança"
 

sábado, 17 de maio de 2014

Um cão adoptado, um bebé e uma mãe fotógrafa

"Zoey+Jasper
a rescue dog and her little boy"
 
 
 
Para ver mais fotos adoráveis, clicar aqui.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Às vezes a velha máxima do "antes quebrar que torcer" até dá resultado.
Então e esta que não me sai da cabeça?
 
 

domingo, 4 de maio de 2014

O meu primo de 6 anos pôs de lado uma candidata a namorada, porque ela (passo a citar) "Não deve tomar banho, tem côdeas nos dentes e chega toda desalinhada logo de manhã. Não pode ser!" Miúdos de valor.
 

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Também tenho estes acessos de lucidez, de vez em quando...

"Comportamo-nos como se as pessoas de quem gostamos fossem durar para sempre. Em vida não fazemos nunca o esforço consciente de olhar para elas como quem se prepara para lembrá-las. Quando elas desaparecem, não temos delas a memória que nos chegue. Para as lembrar, que é como quem diz, prolongá-las. A memória é o sopro com que os mortos vivem através de nós. Devemos cuidar dela como da vida. Devemos tentar aprender de cor quem amamos. Tentar fixar. Armazená-las para o dia em ...que nos fizerem falta. São pobres as maneiras que temos para o fazer, é tão fraca a memória, que todo o esforço é pouco. Guardá-las é tão difícil. Eu tenho um pequeno truque. Quando estou com quem amo, quando tenho a sorte de estar à frente de quem adivinho a saudade de nunca mais a ver, faço de conta que ela morreu, mas voltou mais um único dia, para me dar uma última oportunidade de a rever, olhar de cima a baixo, fazer as perguntas que faltou fazer, reparar em tudo o que não vi; uma última oportunidade de a resguardar e de a reter. Funciona".
Miguel Esteves Cardoso.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Adoro! :)

Crónica do RAP na Visão da semana passada.

A celebração dos 40 anos do 25 de Abril descobriu um número surpreendente de revolucionários. Gente que revela agora ter estado na clandestinidade, embora tenha mantido o facto clandestino durante quatro décadas. Ou que diz ter conspirado contra a ditadura, apesar de a conspiração ter permanecido secreta até hoje. Todos se arriscaram pela liberdade. Todos levaram a cabo uma actividade bastante subversiva, que os coloca apenas um degrau abaixo de Salgueiro Maia, na luta para derrubar o fascismo (eu digo fascismo. Isso do autoritarismo conservador é uma mariquice moderna). Todos distribuíram panfletos, compraram discos em segredo, uma vez deram boleia a um anti-fascista (o anti-fascismo, curiosamente, resistiu melhor que o fascismo. O anti-autoritarismo conservador nunca pegou). Mesmo os que o 25 de Abril apanhou a dormir, estavam a dormir revolucionariamente. Chega a parecer estranho que, num país em que toda a gente amava a liberdade, a ditadura tenha conseguido durar quase 50 anos. Nem uma pessoa confessa que até estava bastante bem instalada na vida e que nada a movia contra o Estado Novo. Com excepção, talvez, de Cavaco Silva. Honra lhe seja feita, porque não pretende convencer ninguém de que é apreciador da liberdade e da democracia.
Como é evidente, fico à margem de todas estas conversas. Infelizmente, nasci três dias depois do 25 de Abril, e não tenho um passado de luta e resistência para apresentar. Ou, pelo menos, era o que eu pensava. As histórias que tenho ouvido inspiraram-me a criar a minha própria narrativa de combate ao fascismo, toda ela verdadeira. Ora escutem. Passei os nove meses que antecederam o 25 de Abril na clandestinidade. E, também, preso. Na solitária. A cela era húmida, escura, e a comida parecia-me já ter sido mastigada. Resisti como pude a essa longa noite de fascismo e, quando o 25 de Abril chegou, foi como se eu tivesse nascido. A festa foi bonita, mas o fascismo mostrou a sua feia carranca até ao fim: mesmo à saída da prisão, ainda fui agredido, com umas palmadas. E confesso que chorei. Mais de choque e raiva do que de dor, mas chorei. Escuso de dizer que a minha vida, após o 25 de Abril, não tem nada a ver com o que era antes. É uma diferença radical, do dia para a noite. Foi como se tivesse finalmente aberto os olhos. Portanto, e à semelhança de tanta gente que, 40 anos depois, descobriu que lutou e sofreu pela liberdade, também eu passo a ter uma história impressionante de resistência ao fascismo.

Ler mais: http://visao.sapo.pt/a-muitos-fica-bem=f778778#ixzz30NfUxw6X

domingo, 27 de abril de 2014

Tenho saudades do meu avô.
À terça-feira, dia em que saio mais cedo, ia sempre vê-lo...agora à terça-feira não sei bem o que fazer, falta-me algo. A clínica onde trabalho é perto da casa onde ele morava, e todos os dias passo lá. Há um senhor que é nosso utente que se senta na sala de espera mesmo em frente à porta, muito magrinho, mas de fato impecavelmente vestido e chapéu. Todas as segundas feiras, todas, em que entro por aquela porta eu olho para ele e parece que estou a ver o meu avô.
Lembro-me sempre de, nestas últimas semanas, ele me dizer para eu fazer por ser feliz.
E eu tento, mas tenho muitas saudades dele.
 
 

sexta-feira, 25 de abril de 2014

25 de Abril



quarta-feira, 16 de abril de 2014

Dia Mundial da Voz 2014

Já no final deste dia, mas não podia deixar passar.
Porque sou terapeuta da fala, porque a voz é uma das minhas ferramentas de trabalho, porque gosto tanto de ouvir as vozes dos outros, porque tenho tantas saudades da voz daqueles que já partiram.
 
Espero que tenham tido um óptimo Dia Mundial da Voz e que cuidem bem da vossa!
 

sábado, 5 de abril de 2014

Hoje foi o dia!

Marcamos a nossa viagem! Três dias inteirinhos em Barcelona, com três amigas! Sugestões de itinerários aceitam-se e são de valor. Nunca mais chega Junho! :)
 
 

domingo, 30 de março de 2014

sábado, 22 de março de 2014

O meu avô morreu ontem. Hoje foi o funeral. Acabou.