Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2018

Das sortes da vida

Hoje fui ao supermercado ao final da tarde. Já estava a dirigir-me às caixas para pagar quando olho e vejo uma ex estagiária, que esteve três meses comigo. Estava lá a trabalhar, numa daquelas banquinhas de promoção. Ao que sei, nunca chegou a exercer como terapeuta da fala. Era uma pessoa muito esforçada, que acumulava dois ou três empregos com o estágio para conseguir pagar as propinas...que tenho a certeza que não gastava muito em comida porque tinha outras despesas para pagar...que não tinha suporte familiar que lhe valesse. Que apesar de todas as dificuldades, lembrou-se de me ir visitar no Natal passado e levar-me um miminho. Fiquei realmente triste quando vi que todo o esforço dela não surtiu o efeito que eu sei que ela tanto desejava. Ela não me viu e eu desviei-me por outro corredor, queria falar com ela (irei fazê-lo!), mas fiquei com um nó na garganta. De facto, às vezes queixo-me de barriga cheia.

Atividade sismica matinal

Ora, hoje deu-se o caso de eu ter percebido que sou muito distraída. Devo ter sido a única pessoa no meu local de trabalho que não sentiu o sismo/ouviu o sismo/esteve cara a cara com o sismo. Também era cedo, eu entrava às 8h, andava a acabar de me vestir à pressa e a tomar o pequeno almoço em simultâneo...isto de manhã não há tempo para se reparar em fenómenos naturais!

Linha de saúde 24

Durante estes dias estive doente em casa. Tendo pavor a hospitais e ainda mais a agulhas e coisas do género, suportei as dores e adiei o mais possível a minha ida a um deles ou ao centro de saúde.  Por sugestão de uma amiga, liguei para a linha de saúde 24 e fiquei agradavelmente surpreendida. A enfermeira que me atendeu foi muito simpática, super atenciosa, fez-me imensas perguntas e descansou-me. Sugeriu-me algumas coisas a fazer antes de tomar medicação (que realmente resultaram) e ainda ficou com o meu contacto para me ligar no dia seguinte a saber como estava (o que de facto aconteceu, ligou-me outra enfermeira igualmente profissional e querida). Numa altura em que tanto funciona mal, em que há tantos cortes na área da saúde, queria mesmo deixar o meu enorme agradecimento a estas pessoas que se mostraram preocupadas e além do acompanhamento profissional, volto a referir, souberam ouvir, esclarecer as minhas dúvidas e perceber a minha inquietação com algo que podia ter sido mesmo…

Pessoas que vão a consultas/sessões de qualquer tipo...

...não entrem logo a matar a dizer que já sabem qual é maleita, qual é o tratamento, que estratégias devem usar...porque viram na net, o google indicou, o youtube mostrou. Não façam isso com a vossa vida, primeiro porque é uma falta de respeito para com o profissional que está à vossa frente e que, DE FACTO, estudou, e depois porque se já sabem tudo, estão a ocupar o lugar de alguém que precisava mesmo da consulta. Sou toda a favor de se conversar, de se partilhar experiências e dúvidas, se há pessoa que acolhe as famílias nas sessões e trabalha com elas em equipa, essa pessoa sou eu, porque é assim que deve ser, mas há alminhas que tocam a arrogância e hoje em dia até parece que todos percebemos de tudo, não é?
Assim sem contar, na sexta-feira ele enviou-me mensagem. Uma mensagem que dava conta de ter arranjado trabalho, mas que tecnicamente não era para mim, visto  que não falamos há 8 meses. Não respondi, não disse que foi engano. Ele também não mandou mensagem a retratar-se. Vai daí, depreendo que a enviou esperando uma espécie de reação minha. Confesso que fiquei morta de curiosidade, até me doeu o estômago, mas contive-me, segurei-me, trinquei os dentes. Lembrei-me do que me fez em dezembro e fiz de conta que ele não existe. Orgulhosa de mim.
Cheia de ideias para a viagem a Praga! Só me falta mesmo ir à agência tratar de definir a data e escolher entre as dezenas de hotéis que já andei a pesquisar. Entretanto, ando a tentar perceber como vou fazer funcionar uma viagem a Paris, para o início do próximo ano. Será um presente de Natal para os meus pais...sou ótima a planear estas coisas mas não queria ficar pobre.
No café... entram duas espanholas e perguntam o que é o prato do dia. O empregado diz que são moelas com batatas fritas. As espanholas não fazem ideia do que sejam as moelas. O empregado tenta explicar mas não é fácil Diz a minha tia, cliente habitual : "Oh filho, diz-lhe que são os miúdos do frango!" O empregado tenta, mas sem sucesso. Tia toma a dianteira e traduz: "Minhas queridas, as moelas são os miúdos do frango! M-I-U-D-O-S! Niños de pollo!" Aprendam.

Regresso aos nossos dias

Primeiro dia de trabalho após duas semanas de férias. God!Foi como se me tivessem dado com uma marreta quatro ou cinco vezes! E a tarde até não foi muito agitada...agora imaginemos o meu estado até ao final da semana. Alguém me atire para o meio do Alentejo, por favor!


Dos passeios desta semana

Esta semana fui à Alfândega do Porto ver a Exposição "Extinção - O fim ou o início?", que faz parte da coleção do Museu de História Natural de Londres. Fui com algumas expectativas, uma vez que já visitei o dito Museu e adorei, e levei os meus primos, pensando que eles iam adorar. Realidade: a exposição consiste apenas numa sala, grande, mas uma sala, tem alguns animais, alguma informação...tudo muito cinzento, pouco interactivo...vê-se numa penada. Eu e duas crianças com menos de 12 anos, pagámos a módica quantia de 28 euros e saimos de lá bastante desiludidos.  Não aconselho.
Por outro lado, ontem fui à Galeria da Biodiversidade - que já tinha visitado no ano passado - ver a exposição temporária "Photo Ark", com fotografias de Joel Sartore e com a chancela da National Geographic (NG). A exposição mostra animais em vias de extinção em fotografias com a qualidade a que a NG já nos habituou. Adorámos!! Os pequenos pagaram 2,50€ cada um e eu 5€. Quando saímos, ainda …

Como estamos?

1. Assinei contrato há duas semanas! 2. Fui de férias e já voltei. Correu bem, tendo em conta que só choveu no dia de regresso. 3. Pela primeira vez na vida tive férias e um mês de ordenado completo, em simultâneo. Sensação fenomenal! 4. Li quatro livros de Lars Kepler e estou viciada. Apelo à criatura leitora da biblioteca municipal que requisitou os dois que me faltam ler, que os devolva tipo...JÁ! 5. Esta semana tenho de ir ao oftalmologista e comprar óculos novos...senhoras da óptica me aguardem! Duas horinhas a experimentar modelos ninguém nos tira.

GRRRRR

Só há um tipo de pessoas que eu detesto mais do que as que andam de metro e não tomam banho. São as pessoas que andam de metro e, não tomando banho, ainda espirram para cima das almas que vão ao lado!


Até tenho sonhado com esta música...

Vi um concerto da Aurea recentemente e valeu cada cêntimo! Espetacular em palco e uma voz que nunca mais acaba!

Os filmes de domingo que eu já vi 30 vezes e que provavelmente verei uma 31ª...

Notting Hill
Vi a primeira vez no cinema, com o meu pai, em meados de 1999. E desde aí, revi vezes e vezes e vezes sem conta. 
E quando fui a Londres, onde é que houve paragem obrigatória? Exato.




Dante's Peak
A primeira vez que o vi foi numa aula de ciências, do 10º ano, ou por aí...a matéria abordava os vulcões e a professora achou por bem deixar-nos ver o filme. E foi uma grande ideia!Nunca mais me esqueci dele e, mesmo à 30ª vez, considero que continua emocionante! De lembrar que este filme é de 1997, pelo que a tecnologia não era bem bem a mesma coisa...



A Máscara de Zorro
Oh pah...António Banderas, Catherine Zeta-Jones e Anthony Hopkins! Como não ver? E quando eles dançam o tango?? E aquele inglês com sotaque? É de 1998 e também fui ver ao cinema com os meus pais. Reparo agora que nos anos 90 a minha vida de espectadora cinematográfica era super ativa...



Ponto de viragem

Esta semana foi-me proposto um contrato de trabalho. O contrato pelo qual aguardo e desacredito há 6 anos.  Afinal o dia chegou. Se quem espera sempre alcança...não sei...se quem espera desespera, concerteza. E eu estava nessa fase, deixei de pensar sequer nessa possibilidade que me tinha sido prometida mas que nunca se materializou.  Na realidade, ainda não sei o que consta desse contrato, que devo assinar no próximo mês, não será um ordenado de sonho, mas saber o que é ter subsídio de férias e de Natal vai ser uma enorme descoberta!


Ser terapeuta da fala é...

1.Saber a que horas vai começar o dia mas nunca saber a que horas vai acabar. 2.Sair de casa arranjada e cheirosa e 2h depois estar descabelada, descalça, sentada no chão com um pequenote. 3.Ouvir os pais, os professores, os psicólogos, os assistentes sociais...e mais quem venha! 4.Telefonar para os pais, para os professores, para os psicólogos, para os assistentes sociais...e mais quem venha! 5.Passar por uma loja dos chineses e tentar perceber o que é que dali serve para intervenção. 6.Querer comprar urgentemente todos os livros sobre as nossas áreas de intervenção, mesmo aqueles que ainda ninguém escreveu. 7.Achar que todas as formações sobre X ou Y nos dariam imenso jeito. 8.Perceber que temos de escolher os livros que compramos no ponto 6 e selecionar as formações que vamos mesmo fazer no ponto 8. 9.No seguimento dos últimos três pontos, é aceitar que o dinheiro não chega para tudo e que tudo se paga nesta vida. Literalmente. 10.Sair do trabalho e ir estudar para casa...e chegar…

Barcelona - segundo round

O tempo que se passou desde a última vez que aqui vim! Como diria a minha vizinha..."nossaaaa"! Também não aconteceu assim nada de relevante, além de ter levado os meus pais a Barcelona. Verdade! Ofereci-lhes a viagem e o hotel e tudo e tudo, e aproveitei e fui com eles. Fomos comemorar no fim de semana do meu aniversário e foi tão bom voltar! Fui muito feliz naquela cidade, novamente. Regressava já amanhã.






A banda sonora destes dias

As músicas que me ajudaram a aguentar as últimas 48h.  Obrigada Ana Bacalhau!!

Se fosse fácil até nem era igual

A pessoa sabe que atirou pedras à cruz quando se esfola toda para escrever um artigo para uma revista da área, esse artigo tem de ser reformulado em tempo record, e quando é aceite para publicação esquecem-se de avisar a autora (EU). Quando finalmente avisam, o artigo está publicado há mais de um mês. Para terminar em beleza, a pessoa encomenda a revista, para a família ver que é verdade, e recebe como resposta que decidiram terminar com a edição em papel. Eu mereço.