Avançar para o conteúdo principal

Os pinipons desta nossa vida

Elas chegaram agora junto de ti.
Elas pensavam que o mundo cabia inteiro nas paredes da sua casa, e que quem lá vivia eram os seus únicos habitantes. Terás de mostrar-lhes que não é verdade. 
Elas têm poucas palavras para nomear o que as rodeia. Terás de as ajudar a encontrar as que faltam. 
Elas vão ver o mundo com as cores que tu puseres em cada som e em cada gesto. 
Elas vão olhar para ti, aprender o teu nome, chamar-te por tudo e por nada, geralmente por nada. Que é sempre tudo. 
Vais mostrar-lhes como se vive com os outros, como se aceita quem não é igual a nós, tal como se aceita um desenho pintado com todas as cores do arco-íris. 
Vais aprender a ter de lhes dizer muitas vezes “ não”, sem te deixares levar pelo seu beicinho irresistível. Mas vais também dizer-lhes muitas vezes “sim” e sentir que é para ti que elas sorriem e estendem as mãos.
Vais levá-las ao jardim quando há sol, vais empurrar baloiços que chegam ao céu, vais assoar narizes cem vezes ao dia, vais fazê-las aprender a gostar de sopa, vais ler-lhes histórias e ensinar-lhes que todas as meninas têm direito a ser princesas, e todos os meninos têm direito a ser piratas das Caraíbas. 
Elas vão ser, naquele pequeno universo diário, os filhos que tens em casa, ou na escola, ou não tens, ou esperas vir a ter mais tarde. E por vezes podes sentir uns ligeiros remorsos por teres para elas o tempo que não tens para os teus. 
Elas levam-te nos olhos quando à tarde as vêm buscar. E esperas que te levem também no coração. 
Elas vão acreditar em ti como acreditam nas fadas e no Pai Natal. 
Elas vão pôr-te os nervos à flor da pele e fazer-te esquecer, por vezes, o que aprendeste, e perder a paciência que sempre julgaste inesgotável. 
Elas vão fazer-te suspirar pela hora do regresso a casa, vão fazer-te levar muitas vezes as mãos à cabeça e proferir intimamente palavras impronunciáveis. 
Porque elas são crianças. 
E porque tu és humana. 
 
Resumindo: elas vão-te fazer feliz para o resto da tua vida.

Alice Vieira

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dia Mundial da Voz

escrevi aqui um post sobre como é produzida a voz e alguns cuidados a ter, mas neste dia mundial da voz não podia deixar de colocar alguma coisinha a assinalar a data aqui também!:) (é mais forte do que eu...) Certamente ouviram falar sobre o facto de a Adele ter nódulos nas pregas vocais e ter sido operada para retirá-los (bom, fiquei sem perceber muito bem se seriam nódulos ou pólipos, mas vamos partir do princípio que eram nódulos porque é uma patologia mais frequente). Então, os nódulos são uma espécie de "calos" nas pregas vocais. São aqueles "piquinhos" que se vêem nas imagens.

E o que fazem estas criaturas? Na generalidade fazem com que a voz fique muito rouca, com pouca projecção e muita saída de ar à mistura. A rouquidão é das alterações de voz mais frequentes. Entre outras causas, a rouquidão pode ser provocada pelo esforço vocal, que conduz, muitas vezes, aos nódulos. Para evitarem que tal aconteça, basta seguirem alguns cuidados que já enumerei neste p…

Temos vestido!

Quer dizer, eu tenho vestido. Vou ao casamento de um casal amigo de quem gosto muito (fui eu que os apresentei!) e vou ler durante a cerimónia e tudo e tudo, o casamento é daqui a três semanas e eu ainda não tinha vestido. Pois que hoje isso mudou, entrei numa loja, peguei em quatro vestidos jeitosinhos e o primeiro que experimentei foi amor à primeira vista. É curto, liso, muito simples, custou 60 euros e acho que vai ficar muito giro com uns acessórios. É azul cobalto (é assim que se diz, não é?), assim como os da foto abaixo. Só que agora não sei bem que cor de sapatos usar...estava inclinada para o tom nude, mas será que fica melhor com azul escuro ou preto? Que dizeis?
Estou sem saber o que fazer. Esta devia ser uma época de paz interior e eu tenho o coração angustiado. A culpa é minha. Eu sei que vai acontecer, sei que ele volta sempre a desiludir-me, uma e outra vez...que é uma questão de tempo, e no entanto, nunca consigo ser mais forte, ser racional. Quantas vezes já tive esta conversa aqui? Sei lá! Posso garantir que não sou burrinha, que antecipo este momento há meses, não posso dizer que seja uma surpresa, mas é sempre uma desilusão. Acho que não gosto assim tanto de mim...