sábado, 30 de junho de 2012

Estava aqui a ver uma entrevista do Pedro Abrunhosa e ele comentava que quando alguém lhe dizia "Temos de falar..." ele pensava logo que não vinha por aí nada de bom. E é mesmo, quando ouço essas três palavras fico imediatamente com o coração nas mãos! Pelo menos nunca me aconteceu de me virem dizer "Temos de falar...saiu-te o Euromilhões!"

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A Selecção Portuguesa de Voleibol está a participar, há cerca de 1 mês, na Liga Mundial. Os jogos têm sido transmitidos em directo na Sport Tv.  É uma Selecção cheia de novas promessas, atletas esforçados que não ganham nada de especial por isso, é mais amor à camisola do que outra coisa. Nas televisões, nos jornais, na rádio, nem se ouve falar de tal. É de salientar que também cantam o HINO, que estão a representar o país e que, se calhar, mereciam um bocadinho mais de atenção e destaque.


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Nunca sei se são as pessoas que mudam ou se somos nós que nunca as chegamos a conhecer como elas realmente são. Mas sei que, na maior parte das vezes, a mudança traz alguma desilusão. Por outro lado, sentimo-nos mais livres, mais despojadas, talvez...porque sabemos com aquilo que contamos. Quase sempre, apenas e só, connosco.
E o resto é conversa.


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Ooooh :( foi a primeira vez que fiquei mesmo mesmo triste por causa de um jogo de futebol. Ainda por cima o meu querido Moutinho falhou o penalti...ora bolas.

domingo, 24 de junho de 2012


Eu, a pedir que não me tirassem esta fotografia, na sardinhada de ontem. Mas tiraram, e cá estou.: )

sábado, 23 de junho de 2012

Inscrição no mestrado: Done
Sardinhada logo à noite: Quase quase :)

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Quem é que hoje se vai inscrever no mestrado, quem é?:)
Pois...mas não estou com muitas esperanças de entrar, é o chamado "trinta cães a um osso".

terça-feira, 19 de junho de 2012


É um bocado assim...e, neste caso, nunca dou o braço a torcer.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Na quarta-feira vou a uma conferência onde vão estar outras colegas...já sei que, como de costume, vou sentir-me um bocado deslocada quando elas começarem a queixar-se, com aquele ar de enfado, que têm imeeeenso trabalho. A sério, podem ter a sensibilidade de não dizer isso à minha frente? Agradecida.


domingo, 17 de junho de 2012

Que é para aprenderes (a saga)

Sou mesmo bambi... Farta de saber, sempre de pé atrás, conhecendo "do que a casa gasta", acabo por ser amável e fazer o jeito. Andou à minha volta, sempre muito simpática e não sei que mais, e no fim dei-lhe quase uma consulta de borla, ela viu-se de problema resolvido, desapareceu e nem um "Obrigada". Se não fosse da família (estou com ela duas vezes por ano, mas ok) já lhe tinha atirado um ovo podre à testa. Não...não tinha nada. Os bambis não fazem isso.


sábado, 16 de junho de 2012

Imperdoável


quinta-feira, 14 de junho de 2012

Há aquelas pessoas que em crianças que sonhavam em ser pilotos de Fórmula 1, que pegavam no carro do pai às escondidas, que o seu objectivo de vida era fazer 18 anos para poderem tirar a carta de condução...pronto, há essas crianças. E depois existo eu. A minha apetência por máquinas é zero, quando era pequena nem sequer gostava de andar nos carrinhos de choque das festas, o meu sonho não é conduzir, é ter o Metro à porta e a minha ambição não é ter um Ferrari, é ter um motorista.
Ainda assim, quando chegou a altura, os meus pais e os meus avós lá me impingiram a carta. Tive de ir. Sabia o código na ponta de língua e passei no exame à primeira. As aulas de condução foram uma tortura, primeiro porque o instrutor era meio tarado, e depois porque o meu jeito para o volante é risível...Enfim, num golpe de sorte, o exame de condução correu-me lindamente, estava calma (talvez porque o engenheiro não fosse tarado, mas sim uma pessoa calma e decente), fiz tudo direitinho, mesmo estando um trânsito infernal na Avenida da Boavista e sendo hora de ponta, e consegui a proeza de não deixar o carro ir abaixo nem uma única vez. Passei.
A partir desse dia peguei no carro duas vezes. Uma para ir até Vila do Conde, e outra para vir da praia até casa, mas sempre com o meu pai ao lado. Passaram-se 6 anos. Nunca mais precisei de conduzir a pode dizer-se que ganhei alguma fobia - até tenho pesadelos durante a noite, em que vou a conduzir e o meu pânico é ter 3 pedais e apenas 2 pés e depois não consigo travar e por aí adiante. Sim, eu sou esse género de condutora (not).
Hoje, o meu pai lembrou-se que um dia destes posso precisar de conduzir para algum emprego e que convém ir tendo umas aulas (eu sei que ele tem razão...mas custa-me tanto...). Lá fomos, para um parque de estacionamento deserto, treinar um bocado e não foi mau de todo. No entanto, apareceu uma criatura equipada para correr, lá, no dito parque de estacionamento onde eu me encontrava em treinos. Dez mil metros de parque vazio e eu preocupada em não atropelar o ser...vai daí que faz ele? Deita-se no chão, no alcatrão, a fazer abdominais. Ali, a escassos quinhentos metros do meu carro. Acho que ele não percebeu o perigo em que esteve. Também andava para lá um cão e dois gatitos, mas o seu sentido de amor à vida apurado fê-los fugir para longe assim que me viram.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A sério, se eu tivesse uma úlcera no estômago, a esta hora estava de todo. A sorte é que por acaso não tenho... Será que é sempre precisa esta dose de sofrimento em todos os jogos? São um bocado sádicos com o pessoal...

terça-feira, 12 de junho de 2012

Mais um que eu gostava de saber fazer...

...mas a única coisa que me acontece é tropeçar nas mãos...

segunda-feira, 11 de junho de 2012

O Centro de Emprego fecha às quatro da tarde.
A Piscina Municipal encerra todo o mês de Agosto.
A Segurança Social quer que uma pessoa que ganha 80€ por mês (a recibos verdes), desconte 120€...por mês!
Sou só eu a ver coisas erradas aqui? Como diria a minha vizinha, é o fim da picada...


sábado, 9 de junho de 2012

Sobre o Portugal-Alemanha



Foi uma pena a selecção portuguesa ter perdido, não mereciam...de qualquer forma o desporto abre-me sempre o apetite, quer seja eu a fazê-lo ou não. Já fui atacar nas cerejas e nos biscoitos.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Mais uma vez fica tudo adiado. Agora que estava cheia de esperanças "vai ter de esperar mais um bocadinho, as crianças ficaram todas com varicela...sabe como é, a escola é a mesma, umas pegam às outras...não há condição para fazer as sessões". E eu espero, mais uma semana, mais um mês, mais sei lá quanto tempo. E enquanto espero desespero. E todos os dias tento...mas ninguém é de ferro e acho que me estou a ir abaixo sem saber muito bem onde me agarrar.
Começo a não suportar o falso optimismo, o "desanimar não adianta nada! Um dia destes vais encontrar um emprego bom na tua área! Vais ver que quando te aparecer o primeiro depois aparecem-te logo mais dois ou três todos juntos!" Está beeemmmm... e enquanto não aparece nada? E se só aparecer daqui por 50 anos? Vou estar na mesma em casa, a aspirar e a passar a ferro? Por quanto mais tempo vou ter de adiar a minha vida? Será que algum dia vou encontrar uma pessoa decente, será que vou ter filhos, será que vou ter independência para conseguir isso tudo? E se depois já for demasiado tarde? Às vezes é mais útil que nos ajudem a lidar com a realidade do que nos passem a mão pela cabeça.



domingo, 3 de junho de 2012

Acho que esta semana pode trazer muitas supresas...estou um bocadinho ansiosa com a mudança, se ela de facto se verificar, mas com esperança que se abra um novo ciclo. Espero estar à altura... Vamos lá então!


sábado, 2 de junho de 2012

Hoje fui a uma entrevista e acho que fui contratada para fazer um part-time. Acho. Porque a senhora entrevistadora não tinha os parafusos todos no sítio. Quando chego a casa, ía a descer as escadas e a minha sabrina lembra-se de sair disparada do meu pé, caí muito, de modo a limpar o resto dos degraus com o rabo. Devo dizer que não estou em muito bom estado, apesar de tudo até foi um dia produtivo.