segunda-feira, 26 de maio de 2014

Partidos de extrema direita a subirem tanto nas votações...como é possível? Será que as pessoas têm memória assim tão curta? É assustador.
 

sábado, 24 de maio de 2014

Considerações futebolísticas

A ver o jogo de Real e do Atlético e a pensar que há jogadores mesmo giros, e o ruivinho que está castigado (Xavi Alonso?) que bem que ficava cá em casa... Só acho mal que passem a vidinha a cuspir no relvado. Eles não sabem que vão cair em cima daquilo? Baahh...
A cara de puto do Ronaldo a festejar é mesmo de uma alegria genuina e isso é querido. :)

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Que assim seja

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Surpresas terapêuticas

Hoje uma menina de cinco anos fez-me a seguinte pergunta:
 - És feliz na tua profissão?

Sou uma privilegiada.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Pirilampo Mágico 2014

Então e o Pirilampo Mágico, já compraram? Eu já comprei o meu, está pousado na mesinha de cabeceira. Tenho todos desde 1987, que foi o ano em que nasci, já é quase uma tradição que faço questão de manter. Às vezes até compro mais para oferecer a amigas. É bonitinho e por uma boa causa! Não se esqueçam, está à venda de 3 a 25 de Maio.  "Acende a nossa esperança"
 

sábado, 17 de maio de 2014

Um cão adoptado, um bebé e uma mãe fotógrafa

"Zoey+Jasper
a rescue dog and her little boy"
 
 
 
Para ver mais fotos adoráveis, clicar aqui.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Às vezes a velha máxima do "antes quebrar que torcer" até dá resultado.
Então e esta que não me sai da cabeça?
 
 

domingo, 4 de maio de 2014

O meu primo de 6 anos pôs de lado uma candidata a namorada, porque ela (passo a citar) "Não deve tomar banho, tem côdeas nos dentes e chega toda desalinhada logo de manhã. Não pode ser!" Miúdos de valor.
 

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Também tenho estes acessos de lucidez, de vez em quando...

"Comportamo-nos como se as pessoas de quem gostamos fossem durar para sempre. Em vida não fazemos nunca o esforço consciente de olhar para elas como quem se prepara para lembrá-las. Quando elas desaparecem, não temos delas a memória que nos chegue. Para as lembrar, que é como quem diz, prolongá-las. A memória é o sopro com que os mortos vivem através de nós. Devemos cuidar dela como da vida. Devemos tentar aprender de cor quem amamos. Tentar fixar. Armazená-las para o dia em ...que nos fizerem falta. São pobres as maneiras que temos para o fazer, é tão fraca a memória, que todo o esforço é pouco. Guardá-las é tão difícil. Eu tenho um pequeno truque. Quando estou com quem amo, quando tenho a sorte de estar à frente de quem adivinho a saudade de nunca mais a ver, faço de conta que ela morreu, mas voltou mais um único dia, para me dar uma última oportunidade de a rever, olhar de cima a baixo, fazer as perguntas que faltou fazer, reparar em tudo o que não vi; uma última oportunidade de a resguardar e de a reter. Funciona".
Miguel Esteves Cardoso.