terça-feira, 27 de março de 2012

Fui ao Parque da Cidade para ler o meu livro, em paz, sossegadita, enquanto apanhava um bocadinho de sol. Impossível. Estando sozinha há sempre aves raras que acham, do alto da sua sapiência, que me devem fazer companhia. E então é com cada abordagem...A sério, acham mesmo que alguma rapariga, no seu perfeito juízo, fica encantada convosco? Não fica amigos, não fica. Quando muito, fica incomodada, porque lhe tiraram o momento zen e ela não está para aturar grunhos que vão perguntar as horas (tendo um relógio no pulso...) a mascar chicla de boca aberta. Não contentes com isso, ainda se colam a olhar para o decote da pessoa como se fosse a última coca-cola no deserto. Haja subtileza. Ao fim de 3, fechei o livro e vim para casa.

domingo, 25 de março de 2012

Talvez comece aqui um novo projecto. Pode ser que me devolva o sentimento de ser terapeuta da fala.

Pensando no futuro...

Eu: Já sabes o que queres ser quando fores grande?
R. (5 anos): Sim, bombeiro!!
Eu: Ah, que fixe! E mais alguma coisa?
R.: Não, bombeiro já chega. Vou ter uma família pequena, não preciso de ser muitas coisas.
E apanhou uma florzinha minúscula do jardim, para me dar. Adoro-o, é mesmo fofinho!:)

sábado, 24 de março de 2012

Os livros foram a melhor invenção de todo o sempre e são eles que me têm ajudado a passar o tempo. As noites de Sábado são as mais difíceis. Devia (re)começar a pegar em livros técnicos, mas não tenho casos, não tenho doentes e a motivação para o estudo vai-se. Sinto-me cada vez menos Terapeuta da Fala.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Estados de alma

"Sentou-se sozinho, no escuro.
A depressão abatera-se sobre ele, sem apelo nem agravo. Num minuto estava sentado à secretária a ler alguns ficheiros e no outro o imenso peso negro caíra sobre ele com toda a força.
Já lhe havia acontecido antes, sem nenhum sentido vago de desconforto, nem tristeza avassaladora. Apenas aquela onda imensa de negrume que o enrolava na sua espuma. Apenas aquela mudança abrupta da luz para a escuridão.
Não se tratava de desespero. O conceito de esperança tinha de ser um factor a ter em conta antes de abraçarmos a sua ausência. Não se tratava de desgosto, aflição ou raiva. (...)
Era um vazio. Incomensurável, negro, irrespirável e arrastava-o com ele.
Conseguia funcionar apesar dele; aprendera a fazê-lo. Se não funcionasse, as pessoas não o deixariam em paz e os seus cuidados e preocupações apenas iriam afundá-lo mais no fosso em que se encontrava.
Podia andar, falar, existir. Mas não conseguia viver. Era assim que se sentia, quando se deixava puxar por aquelas amarras."
Nora Roberts in "Luzes do Norte"

quinta-feira, 22 de março de 2012

Não sei como se passa nas outras cidades, mas na minha há um monte daquelas escolas, que não sei bem o que leccionam, se são cursos profissionais, se são equivalências ao 12º ano, não faço ideia. O que sei é que quando passo por lá, estão invariavelmente, à porta (e peço desculpa por estar a generalizar porque há sempre excepções) pessoas com um aspecto pouco confiável, sempre a fumar, a falarem aos berros, a atirarem lixo para o chão e a serem mal-educadas com quem vai a passar. E não importa se são novos ou velhos, a educação ali não tem lugar. Não estou a falar decor, porque conheço professores e funcionários de duas das escolas, ouço histórias inacreditáveis, e admiro-os imenso porque, sinceramente, eu não conseguiria trabalhar num sítio com gente assim. E o mais bonito é que os "alunos" são pagos para frequentarem os ditos cursos.
Lembrei-me disto hoje porque esta manhã fui à farmácia, que é lá perto, e de repente ouço um barulhinho e um senhor com a cara toda a sangrar. Fui lá ter com o senhor, chamou-se o INEM, a polícia entretanto também chegou, e mais de meia-hora depois percebeu-se que tinha sido um aluno da tal escola que se lembrou de mandar uma bombinha ou explosivo ou lá como se chama, daqueles tipo Carnaval, pela janela fora! Mas depois não tinha sido ninguém! Certamente que o senhor, já com uns 70 anos, é que se foi pôr a jeito para ficar com a cara queimada e a sangrar. Depois não sei como terminou o episódio, aquilo estava para durar e eu tinha mesmo de vir embora, mas no meio da confusão toda, os autores da obra-prima ainda estavam lá todos a rir-se e a cuspir no chão. A sério, não sou nada adepta da violência, mas a falta de respeito põe-me maluca e uma vassoura pelas costas abaixo era mesmo do que eles precisavam!

quarta-feira, 21 de março de 2012

Notícias do dia

1) O mestrado que eu queria sempre vai abrir este ano. Tenho dois meses para pensar se me inscrevo ou não. Ai ai... se tivesse emprego nem pensava duas vezes, inscrevia-me e pronto.
2) O meu avô (86 anos) convidou uma amiga da mesma faixa etária para almoçar. O almoço foi feito por ele, bife com acompanhamento e a bela da salada de alface (e tinha mesmo bom aspecto!). Está-me cá a parecer que vou ter uma avó nova...
3) Hoje é o Dia da Poesia :)

segunda-feira, 19 de março de 2012

Foi um bom Dia do Pai, porque o meu tráz sempre com ele todos os sonhos do mundo. Sonhos que me contagiam, porque ele é o melhor, todos os dias. :)

domingo, 18 de março de 2012

Lá isso é verdade...

E depois passa-se o fim-de-semana a pensar na mesma coisa, mas volta-se sempre a cair no erro. É a chamada burrice crónica. Há que manter a esperança de que o primeiro passo é admitir que se tem um problema.

D. quer

sábado, 17 de março de 2012

Vingançazinha

Hoje deixei-te a falar sozinho, fui embora e não sabes para onde (não fui para nenhum sítio especial, mas não interessa, o que interessa é que tu ficaste a pensar). ah ah ah (riso maléfico).


quinta-feira, 15 de março de 2012

Pergunto-me sempre se as conversas que temos os dois pelo msn são próprias...e respondo-me sempre a mesma coisa "Não, não são."


terça-feira, 13 de março de 2012


Se a minha vida não dá uma volta vamos ter problemas...a questão é que não sei como fazer isso. Normalmente as pessoas têm ou um namorado ou um emprego com que se ocupar, eu não tenho um nem outro. A minha vida é numa seca.

domingo, 11 de março de 2012

Ora então cá vamos...

Desafio lançado pela C.Spot, do blog My Chocolate Spot... E as regras são as seguintes:


Regras:

1) Escrever 11 factos aleatórios sobre ti;

2) Responder às perguntas que te foram propostas;

3) Fazer 11 perguntas para as próximas pessoas;

4) Escolher as próximas vitimas.


Factos aleatórios:

1. Sou filha única e nunca gostei, sempre quis ter um irmão ou uma irmã;

2. Gosto de cantar (embora não o saiba fazer), e canto imenso quando estou sozinha em casa;

3. Adoro ler e a única coisa que me custa mesmo emprestar são os meus livros;

4. Colecciono caixinhas de música;

5. Um dia ainda pinto o cabelo de ruivo;

6. Tenho uma paixão por gatos. Já tive uma gata (rafeirinha e meiga que me apareceu à janela do quarto) que teve duas ninhadas de gatinhos e tudo :)

7. Detesto falar ao telefone;

8. Tenho fobia a agulhas e por isso fujo a 7 pés de ir ao médico;

9. Coro com muita facilidade e isso tira-me do sério;

10. Sou do mais pessimista que há, mas escondo bem;

11. Sou muito organizada e na faculdade era "famosa" por ter o tempo todo controladinho e os trabalhos meticulosamente prontos 2 dias antes do prazo, mas há dias em que parece que explodiu uma bomba no meu quarto.


Perguntas feitas pela C. Spot:

1.Dia ou noite?Dia, sem dúvida!
2.Café ou chocolate quente? Chocolate quente (frio, assim assim...chocolate sempre, em todas as suas formas :)
3.Cachorro ou hamburger? Cachorro com molho de francesinha.
4.Sapatilhas ou botas com salto? Botas com salto (sempre que os pés permitem). Sapatilhas, se tiver de usar a farda de tf.
5.Ketchup ou maionese? Ketchup.
6.Ice tea ou coca-cola? Coca-cola! Então se for ice tea de limão sabe-me sempre a líquido de lavar a louça...
7.Falar ou ouvir? Ouvir quem sabe o que diz, falar para quem me quer ouvir.
8.Ler ou escrever? Ler.
9.Doces ou salgados? Os dois, em igual proporção.
10.Cozinhar ou comer? Comer!!!!!:) (só sei cozinhar sobremesas...)
11.Amar ou ser amado(a)? De preferência, as duas em simultâneo, já chega de não correspondências.

Perguntas engenhosamente pensadas por mim, para vocês:
1. O teu livro preferido é...
2. Qual foi a última estupidez que fizeste?
3. Qual é a tua profissão?
4. Se não fizesses o que fazes, que outra profissão gostarias de ter?
5. Primavera, Verão, Outono ou Inverno?
6. Duas pessoas sem as quais a tua vida não teria sentido, são...
7. Uma coisa que te indigna é...
8. Os teus amigos dizem que tu és...
9. Um acontecimento que marcou a tua vida foi...
10. Quem ou o que te faz falta neste momento?
11. A quem gostarias de atirar um ovo podre?

E as vítimas que se seguem são (tchanananan!!!):
Martine
Sofia
Margarida
Frutinha
Mary

Eu já desconfiava que ela era assim, cá por coisas...

Mora no Porto desde que nasceu. Ontem estava a tentar explicar-lhe onde era a Rua das Galerias de Paris e percebi que ela nem sabia bem o que era a Torre dos Clérigos. Quer dizer, "nem sabia bem" é uma forma simpática de expressão, porque na verdade ela achava que a Torre dos Clérigos era um relógio que há num edifício na Rua de Santa Catarina.


Soubesses tu que houve um antes em que tudo estava bem e que agora há um depois que em nada mais foi igual.


quinta-feira, 8 de março de 2012

Pessoas da enfermagem do centro de saúde cá da terra: A sério, já chega. Eu tenho sido uma moça saudável, tenho as vacinas em dia, está tudo ok. Há muita gente a precisar de cuidados médicos, imensos velhinhos em casa a precisar de assistência. POR FAVOR parem de me marcar uma consulta de 3 em 3 meses e mais ainda, NÃO VOLTEM a ligar para o telemóvel do meu pai a dizer que me marcaram um papanicolau para Maio! O senhor ainda vai ter um ataque cardíaco. A sério que não é preciso. E depois há aquela coisa do sigilo e tal...é chato ligar para o pai da pessoa a dizer uma coisa destas. Estamos entendidos?

quarta-feira, 7 de março de 2012

Coisas desta vida

Eu: Temos de telefonar para lá a reclamar...olha para isto, um frigorífico novo e já tem aqui uma mossa!
Ele: Mossa, mossa, assim você me mata...

terça-feira, 6 de março de 2012

6 de Março - Dia Europeu da Terapia da Fala


O melhor dia do ano... :p
este ano com o tema "Comunicação é mais do que fluência".

segunda-feira, 5 de março de 2012

O meu erro foi não nascer num bercinho de ouro. "O seu curriculo é bem bom menina, o seu problema foi não ter tido contacto com cavalos...". Quer apostar?

sábado, 3 de março de 2012

D., a fazer figura de ursa desde 1987

O meu primeiro doente, morreu. Não, não cheguei a tocar no senhor sequer, no dia em que ia fazer a sessão de avaliação ele entrou em coma e já não fui. Era tio de uma amiga minha (a amiga enfermeira que perdeu a avó na noite de Natal....sim, essa) e por isso lá fomos hoje à capela, dar um bocado de apoio. Chego lá eu e vejo a família (a mulher completamente apagada, e dois filhos, de 20 e poucos anos, desfeitos). Ora D., que faz? Vai dar um beijinho aos respectivos e dá por si de lágrimas a saltar dos olhos prestes a ter ali uma crise. Portanto, a ideia era EU dar apoio... Conhecia bem o senhor, já passei um fim-de-semana na casa de férias dele com a família da minha amiga, e tinha estima por ele, mas não éramos próximos. O que me tocou, como de costume, foi o sofrimento da mulher e dos filhos...e o imaginar que o senhor até era mais novo do que o meu pai e que o que os filhos dele estão a passar pode acontecer a qualquer um. Só essa ideia transtorna-me. Vai daí, pus-me logo a pensar que, com este tipo de atitude, se calhar não sou a pessoa mais indicada para ir fazer a pós-graduação em cuidados paliativos que tanto queria...

sexta-feira, 2 de março de 2012

R., o desocupado

Eu: Então, que fizeste hoje na escolinha?
R. (5 anos): Pintei...
Eu: Estiveste a pintar o dia todo? De manhã e de tarde?
R.(ofendidíssimo): Olha...não estive só a pintar sempre sempre...também almocei...

quinta-feira, 1 de março de 2012

E então...é isso...