Avançar para o conteúdo principal
Depois de uma semana de trabalho inqualificável (a sério, tenho tantas pessoas em atendimento que os 30 novos que entraram estão na minha cabeça de forma empastelada, não me lembro das caras e das que me lembro não associo aos nomes...), este domingo soube-me pela vida.
Ainda bem que quando me inscrevi no mestrado estava desempregada e sem conseguir adivinhar que daí a uns meses ía estar a trabalhar a tempo inteiro, porque se soubesse, se me dissessem que ia fazer 70 sessões por semana, nunca teria embarcado na aventura. Agora está no barco é para andar, como se costuma dizer...já fiz metade das cadeiras e com boas notas, é só mais um bocadinho até Junho. E que é puxado é...e que é para pessoas semi-avariadas da cabeça, também é verdade. Mas enfim, é uma fase da vida, e se calhar daqui a uns anos não iria ter possibilidade ou disponibilidade, por isso até foi melhor assim. Às vezes a antecipação, o saber de mais tolda-nos. Está a ser um óptimo treino para conseguir controlar a ansiedade, ser capaz de improvisar e deixar de ser tão certinha. Tenho a certeza que daqui a um ano serei uma pessoa diferente. Já sou, mas vou ser mais (e melhor?:).
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Temos vestido!

Quer dizer, eu tenho vestido. Vou ao casamento de um casal amigo de quem gosto muito (fui eu que os apresentei!) e vou ler durante a cerimónia e tudo e tudo, o casamento é daqui a três semanas e eu ainda não tinha vestido. Pois que hoje isso mudou, entrei numa loja, peguei em quatro vestidos jeitosinhos e o primeiro que experimentei foi amor à primeira vista. É curto, liso, muito simples, custou 60 euros e acho que vai ficar muito giro com uns acessórios. É azul cobalto (é assim que se diz, não é?), assim como os da foto abaixo. Só que agora não sei bem que cor de sapatos usar...estava inclinada para o tom nude, mas será que fica melhor com azul escuro ou preto? Que dizeis?

Dia triste

Não há palavras para descrever a tristeza que se viveu ontem e hoje em Pedrógão Grande. Perdas irreparáveis, vidas humanas, animais...tudo o que se conseguiu com tanto sacrifício. A natureza destruída. É de facto, muito triste...não imagino como seja estar lá, nem sei a aflição que sente quem viveu e vive tudo no local. Não podendo fazer nada de maior, podemos contribuir de algum modo para confortar um bocadinho quem tudo perdeu. Pensemos que pode acontecer a qualquer um de nós. Pelo que tenho visto nas redes sociais, podemos ligar para o760 100 100, e o valor de 0.50€ reverterá para as famílias vítimas deste terrível incêndio. A todos os que estão lá, na luta, CORAGEM!

Estou sem saber o que fazer. Esta devia ser uma época de paz interior e eu tenho o coração angustiado. A culpa é minha. Eu sei que vai acontecer, sei que ele volta sempre a desiludir-me, uma e outra vez...que é uma questão de tempo, e no entanto, nunca consigo ser mais forte, ser racional. Quantas vezes já tive esta conversa aqui? Sei lá! Posso garantir que não sou burrinha, que antecipo este momento há meses, não posso dizer que seja uma surpresa, mas é sempre uma desilusão. Acho que não gosto assim tanto de mim...