domingo, 6 de janeiro de 2013

Tenho um doente que além do problema que o trouxe à terapia da fala, deve ter uns problemas psicológicos jeitosos...alguma coisa assim compulsiva-obsessiva juntinho a um transtorno bipolar, enfim, não percebo nada disso mas acho que o senhor não está no seu melhor em termos de saúde mental. Pormenor: O senhor tem idade para ser meu pai. Pormenor grande: O senhor acha que vai casar comigo e que eu entro em depressão se ele faltar a uma sessão. 
Já fiz os devidos encaminhamentos, porque esta área não é a minha e não sei bem como lidar com a situação, especialmente quando ele faz comentários muito pouco próprios...mas continuo à espera que lhe marquem as consultas (há quase 2 meses!). Comecei por deixar de ser simpática, porque já vi que ele confunde simpatia com outra coisa...mas mesmo assim não resultou...Os meus colegas aperceberam-se da situação e colocaram no meu gabinete um interruptor de emergência, só para o caso de ser preciso, basta carregar ali e toca uma coisa tipo sirene dos bombeiros. Um dia destes estava com um miúdo ao colo, encostei-me ao interruptor sem querer e 5 segundos depois tinha um batalhão de resgaste à minha porta. Que vergonha...mas ao menos foi um bom simulacro. :)


Sem comentários: