Avançar para o conteúdo principal
A saga do Mestrado continua. Neste país para se fazer alguma coisa são necessários, de facto, muitos papéis e montanhas de paciência. Esta semana andei a tentar enviar o meu projecto para ser apreciado pelas comissões de ética. Digo-vos, é mais fácil sair o Euromilhões do que percorrer estes caminhos burocráticos. Se não falta um papel falta uma assinatura, se se tem um elo de ligação não se conhece o director de serviço, se com uns é tudo de uma facilidade brutal, com outros mais parece que temos um registo criminal que precisa de ser escrutinado com a maior das atenções. É cansativo, é desgastante e sobretudo parece que se tenta impedir que as pessoas progridam. Parece que interessa a alguém que as pessoas vão desistindo pelo caminho...
Vou continuando até quando der, mas tem sido mesmo a pulso e esta semana tive várias vezes vontade de mandar tudo ao ar. Chega a ser desesperante... ele, apesar de tudo, tem sido a pessoa que me ouve todos os dias. Não estamos juntos mas é como se estivessemos. Sei que é outro erro, mas neste momento, ainda que à distancia, tem sido um apoio importantíssimo.
Enfim...É difícil por si, e muito mais quando se trabalha 10h por dia todos os dias. Se conseguir finalizar este, nao me meto noutro tão cedo. E digo sempre isto.
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Temos vestido!

Quer dizer, eu tenho vestido. Vou ao casamento de um casal amigo de quem gosto muito (fui eu que os apresentei!) e vou ler durante a cerimónia e tudo e tudo, o casamento é daqui a três semanas e eu ainda não tinha vestido. Pois que hoje isso mudou, entrei numa loja, peguei em quatro vestidos jeitosinhos e o primeiro que experimentei foi amor à primeira vista. É curto, liso, muito simples, custou 60 euros e acho que vai ficar muito giro com uns acessórios. É azul cobalto (é assim que se diz, não é?), assim como os da foto abaixo. Só que agora não sei bem que cor de sapatos usar...estava inclinada para o tom nude, mas será que fica melhor com azul escuro ou preto? Que dizeis?

Dia triste

Não há palavras para descrever a tristeza que se viveu ontem e hoje em Pedrógão Grande. Perdas irreparáveis, vidas humanas, animais...tudo o que se conseguiu com tanto sacrifício. A natureza destruída. É de facto, muito triste...não imagino como seja estar lá, nem sei a aflição que sente quem viveu e vive tudo no local. Não podendo fazer nada de maior, podemos contribuir de algum modo para confortar um bocadinho quem tudo perdeu. Pensemos que pode acontecer a qualquer um de nós. Pelo que tenho visto nas redes sociais, podemos ligar para o760 100 100, e o valor de 0.50€ reverterá para as famílias vítimas deste terrível incêndio. A todos os que estão lá, na luta, CORAGEM!

Estou sem saber o que fazer. Esta devia ser uma época de paz interior e eu tenho o coração angustiado. A culpa é minha. Eu sei que vai acontecer, sei que ele volta sempre a desiludir-me, uma e outra vez...que é uma questão de tempo, e no entanto, nunca consigo ser mais forte, ser racional. Quantas vezes já tive esta conversa aqui? Sei lá! Posso garantir que não sou burrinha, que antecipo este momento há meses, não posso dizer que seja uma surpresa, mas é sempre uma desilusão. Acho que não gosto assim tanto de mim...